Mayıs 11, 2024

História com o Pintor

ile admin

História com o Pintor
Esta é mais uma história da minha ex., uma boa putinha.Como já contei antes ela era ama de uma familia com um casa na Moita e na vizinhança ainda havia casas em construção e como estavamos a precisar de pintar a casa, perdeu a vergonha e foi a uma das casas em construção já ao final da tarde e perguntou ao pintor que lá andava já a arrumar as coisas se não lhe arranjava uma lata de tinta que gostava de pintar a sala de casa. Ele respondeu-lhe que sim, que arranjava mas perguntou-lhe o que é que lhe dava em troca, ela riu-se e disse-lhe que lhe batia uma punheta, ele retorqui, só? Ela respondeu-lhe que sim que naquele dia seria só uma punheta, ele acabou por concordar e levou-a para dentro da vivenda e mostrou.lhe os latoes de tinta e e disse-lhe que so tinha tinta branca, ela disse-lhe que estava otimo. Então ele baixou as calças e pôs o marsapio à vista e disse-lhe, vá então bate-me lá uma punheta mas não sejas apressada, faz devagarinho para eu gozar bem. Ela assim fez, ele ainda pediu para ela o mamar mas ela deu-lhe uns beijinhos na cabeça mas como cheirava muito a suor e a mijo não quis mamar disse-lhe que ficava para a próxima, servicinho feito, ele foi por-lhe o latão de tinta no carro, Claro que quando chegou a casa riu-se para mim e disse-me, tens que ir lá abaixo ao carro buscar um latão de tinta. Fui buscar e perguntei-lhe onde o tinha arranjado. Rindo disse-me que tinha custado uma punheta ao pintor, perguntei se o tinha mamado ou fodido com ele e ela contou-me a história e com o tesão que me deu, lá me fez um broche a com direito a engolir tudo o que ela adora.
Pois amigos e como não ha 2 sem 3 ou 4 e por aí adiante e no seguimento da oferta de um latão de tinta e de uma punheta ao pintor, uma semana depois e ao encontrarem-se no café o pintor, sugeriu à minha ex que se podiam encontrar no final do dia na obra, que gostava de estar novamente com ela. Ela riu-se e disse-lhe que se conseguisse sair a horas ia ter com ele mas que desta vez ele que tomasse um duche no contentor da obra, ele concordou e disse-lhe que da outra vez não tinha tido tempo nem estava à espera que ela lhe fizesse uma proposta daquelas. Por volta das 18h lá foi ela ter com ele, bateu à porta do contentor e ele abriu-lhe a porta ainda de toalha enrolada à cintura, 2 dedos de conversa olharam para ver se alguem estava a ver, como não havia ninguem na rua ela entrou, ele assim que fechou a porta tirou a toalha e com o marsápio a meia haste perguntou-lhe logo se era hoje que ela o ia mamar, ela sorriu e disse-lhe que sim, na semana anterior tinha ficado com pena de não ter mamado um pau tão grosso. Ele então agarrou-a pela nuca e disse-lhe, então vá mama-me todo, mama-me no caralho.chupa-me a verga puta,depois de uns minutos a mama-lo de pé e como a posição já era desconfortavel, sentaram-se ambos num sofá velho que lá havia e ela continuou a mama-lo, ele foi-lhe metendo a mão nas mamas e depois foi descendo e desapertou-lhe as calças e enfiou-lhe a mao pelas cuecas e foi-lhe afagando e metendo o dedo na cona, depois de uns 15 minutos de broche e de a foder com os dedos parguntou-lhe se a podia foder um bocadinho, ele disse que sim mas que não queria que se viesse na cona. Ela baixou as calças e a tanga tirou uma perna e sentou-se no caralho dele enterrando-o todo na cona de costas viradas para ele, após umas bombadas na cona com ele a ver-lhe o buraquinho do rabinho pediu-lhe para meter um bocado no cuzinho mas ela não quis, disse que era demasiado grosso, gostava mais dele na cona e na boca, levantou-se e pos-se de joelhos no sofá para ele a comer à canzana mas foi logo avisando que não se viesse na cona que queria o leite na boca, com esta conversa ele não aguentou muito, tirou-lho da cona e virou-a para lho meter na boca e enche-la de leite, contou-me que não engoliu, foi deitar fora à sanita. Depois desta cena, ainda fodeu com ele mais 2 vezes, entretanto acabou o trabalho dele e foi para outro lado.